Polyanna Spínola Dias: Já parou para pensar no poder do silêncio?

0
547

silencio-coluna-polyannaParece que viver em grande cidade é sinônimo de estar acostumado com barulho. Bom, comigo não funciona muito. Tem dia que acordo com vontade de ficar em silêncio. Estranho isso, porque sempre fiz parte da turma dos comunicativos e quando estou em silêncio as pessoas acham que estou triste. Bom, às vezes pode ser, mas nem sempre.

Mesmo tendo me formado em comunicação social e aprendido que existem muitas formas de comunicação foi o tempo e as experiências que me mostraram as melhores maneiras de me comunicar em cada momento – e neste caso não estou falando de uma comunicação para uso profissional.

O Reino de Deus funciona de uma forma muito sensível em relação a comunicação. Vivemos neste mundo, mas pertencemos a outro mundo – somos do Reino dos Céus. Só que estamos tão conectados ao mundo em que vivemos que por tempos somos forçados a desconectar para observamos o mundo espiritual.

Estamos no planeta terra, temos família, trabalho, várias situações para viver e resolver, mas além disso temos uma missão, um designo que nos foi dado por Deus. Estamos aqui para cumprir este propósito. Só que as “coisas”: a agitação, a correria, as necessidades do corpo, acabam nos afastando desta missão. O desgaste das lutas parecem minar nossa força. E quando não paramos para recarregar (mantendo comunhão com Deus), quando não nos focamos, então, mesmo que ligeiramente, nos desviamos.

E, nesta hora, pode entrar um tempo de silêncio tremendo. Sabe por que? Porque Deus sempre quis um relacionamento aberto e direto com o homem. A Palavra diz em Sl 25:14:”A intimidade do SENHOR é para os que o temem, aos quais ele dará a conhecer a sua aliança.” . E quando o homem se distrai e começa a agir por suas próprias percepções ou por suas próprias escolhas, Deus faz o favor de colocar um pequeno empecilho para nos despertar. Ai quando as coisas começam a dar errado é como se um estalo de repente te despertasse. Isso não é uma regra. Nem sempre um bloqueio, uma dificuldade é sinônimo de que tem algo errado.

Mas, para mim, o silêncio ensurdecedor é pior do que a mão de Deus apenas direcionando, porque quando Deus fecha uma porta, Ele sabe o que está fazendo e nós (guiados pelo Espírito) discernimos que Ele está nos conduzindo. Mas quando em nosso interior há uma sede por uma resposta, uma necessidade de comunicação e do outro lado há silêncio, então somos forjados a ouvir da maneira de Deus, no tempo dEle e para sermos aprovamos conforme Seus planos.
Nós somos tendenciosos a nos acostumarmos e nos acomodarmos ao que é bom. O problema é que na maior parte das vezes é difícil ouvir Deus quando está tudo bem. Pois quando as coisas estão bem a tendência é que estejamos no controle de tudo, mas quando não estão, sempre buscamos, no fundo de nossas emoções, no fundo de nossos pensamentos, quem somos verdadeiramente, o que estamos fazendo. Aquele que verdadeiramente é guiado pelo Espírito Santo, quando chega a este ponto é impelido a se questionar, entra em confronto, a fim de que o caráter seja aperfeiçoado. E então nos vemos novamente em uma situação de questionamentos, mas não de murmuração: é tempo de questionar a posição, o crescimento, as atitudes e percebemos que na verdade este silêncio é um bom momento para ouvirmos nossos próprios pensamentos, atitudes, o caminho que decidimos trilhar. É hora de parar tudo, colocar o mundo no modo “mudo” e dar uma volta de 360 graus ao redor e perceber o que está acontecendo: quais dos meus amigos estão comigo porque me amam? O que eu tenho está mudando quem eu sou ? O que desejo conquistar ainda não foi alcançado porque estou sendo negligente? Minha forma de agir com as pessoas está corrompido? Minha adoração não é para Deus, é apenas uma performance? O ministério é de Deus ou eu estou vivendo do egoismo daquilo que se Deus tirar me leva ao caos?

Sejamos sinceros: quando estamos dispostos a questionar tudo isso em nós mesmo? Só mesmo no silêncio de nossas mentes, no máximo no silêncio de nosso secreto com Deus.

Então, aprendi que quando o silêncio bate a minha porta serve para eu questionar a mim mesma, minha posição, minhas atitudes, quem eu sou, quem eu quero ser, qual é mesmo o alvo que estou perseguindo!!! Errar não é o problema. Insistir nele e perder-me no caminho é que me leva ao fracasso. Por isso, descubro cada vez mais que até o silêncio tem um poder transformador. E o silêncio de Deus me ensina que Ele faz de mim uma filha tratada e não uma filha mimada, que recebe o que quer na hora que deseja.

Então, o silêncio também é um grande educador. Mesmo que Ele nos ensine apenas a ser educados e ouvir mais, já será um grande progresso.

Polyanna Spínola Dias é jornalista formada em Comunicação Social há mais de 10 anos.
Facebook : polyannasdias
Twitter: @polyannasdias
Instagram: polyannaspinoladias
E-mail: polyannaspinola@gmail.com

COMPARTILHAR
Artigo anteriorIgrejas Demolidas E Cristãos São Perseguidos Na China
Próximo artigoSEMPRE FELIZ – Dicas de roteiros para as férias 1/2
Ponto das Igrejas
O Ponto das Igrejas é um canal interativo onde o povo de Deus toma conhecimento sobre os fatos que ocorrem no Brasil e no mundo. Desta maneira, ajudamos aos irmãos que não podem ficar muito tempo na internet , ao acessar o Ponto, sair do campo da ignorância e perceber que Jesus está voltando. O Ponto, atualmente, apresenta alguns colunistas que estão sendo usados por Deus para dar ânimo aqueles soldados feridos nas batalhas da vida. Somos criados para glória Dele e usamos as palavras para testemunharem os feitos do Senhor em nossa vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui