Polyanna Spínola Dias: Encontro no Jardim

0
315

thumb_Lindo-JardimeDeus começou a história com a humanidade em um jardim, o Éden – que significa delícia O texto de Gênesis 1:26-29 mostra a criação do homem e sua feitura como alma vivente. É importante saber que a palavra Adão é relacionada a palavra Adamá que no hebraico, significa: “Solo Vermelho”, “Barro Vermelho” e Dam  “sangue”.

Então, o homem é colocado no jardim (Éden – ao Oriente) e sua missão era cultivá-lo e guardá-lo. O mais importante de tudo é que todos os dias Deus vinha para conversar com sua criação, até o dia que Ele veio e após a queda do homem, eles ouvem a voz de Deus e se escondem. Anos se passaram e o plano de resgatar a humanidade é seguido. Jesus veio ao mundo, pregou o Evangelho, foi criticado e perseguido.

Seu último dia de vida em liberdade foi passado em um jardim, no Getsêmani, ao pé do Monte das Oliveiras. Jesus gostava de estar naquele lugar por causa da tranquilidade. Lá ele foi orar. Lucas relata que a angústia de Jesus no Getsêmani foi tão profunda que “seu suor tornou-se em grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão.” (Lc 22:44).

O nome Getsêmani apareceu no original grego dos Evangelhos (Mateus 26:36 e Marcos 14:32) derivado do aramaico que significa “prensa de azeite“. Por isso a Ap. Valnice Milhomens cita em uma pregação que: “No Getsêmani onde o fruto da oliva era esmagado para se tirar o óleo, que o Filho foi moído por nós”.

Neuza Itioka, no livro: “Noiva Restaurada” diz: “No Jardim do Getsêmani a agonia de Jesus foi como a dor de parto para dar à luz a Igreja. E cerca de 50 dias depois, no dia de Pentecoste, a descida do Espírito Santo selou o nascimento dela, dando vida a Igreja, o povo de Deus que nasce do Espírito”.

Então, por fim, Jesus é crucificado em uma colina chamada Calvário, em aramaico, Gólgota. O termo significa “caveira”, referindo-se a uma colina ou platô que contém uma pilha de crânios ou a um acidente geográfico que se assemelha a um crânio.

Mas não era o fim. E em outro jardim Ele foi enterrado (Mt 28, Mc 16, Jo 19:38-42) e aparece ressuscitado.

O texto de João 19 relata o enterro de Jesus no jardim, mas quero destacar o capítulo seguinte:  João 20:10-18

“Tornaram, pois, os discípulos para casa. E Maria estava chorando fora, junto ao sepulcro. Estando ela, pois, chorando, abaixou-se para o sepulcro. E viu dois anjos vestidos de branco, assentados onde jazera o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés. E disseram-lhe eles: Mulher, por que choras? Ela lhes disse: Porque levaram o meu Senhor, e não sei onde o puseram. E, tendo dito isto, voltou-se para trás, e viu Jesus em pé, mas não sabia que era Jesus. Disse-lhe Jesus: Mulher, por que choras? Quem buscas? Ela, cuidando que era o hortelão (jardineiro), disse-lhe: Senhor, se tu o levaste, dize-me onde o puseste, e eu o levarei. Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, voltando-se, disse-lhe: Raboni (que quer dizer, Mestre). Disse-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu Pai, mas vai para meus irmãos, e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus.  Maria Madalena foi e anunciou aos discípulos que vira o Senhor, e que ele lhe dissera isto.”

Jesus estava dizendo para Maria “não me segure”, porque Ele queria aproveitar aquele momento com Maria, pois sabia que ela era uma adoradora, mas Ele tinha uma missão a cumprir.

A Maria do texto é Maria Madalena. Ela foi liberta por Jesus de possessões demoníacas (Mc 16:9). Depois se torna seguidora de Jesus. Ela também ajudava o ministério de Jesus financeiramente com outras mulheres. Ela junto com Maria, mãe de Jesus e João foram os únicos que permaneceram diante da cruz enquanto Ele era crucificado. Depois ela foi a primeira a ver Jesus ressurreto e teve a missão de anunciar esta mensagem aos apóstolos e discípulos de seu mestre.

Deus sempre quis ter relacionamento. Por isso Ele criou o local especial, o jardim. Mas por que um jardim?

No dicionário a palavra jardim significa um lugar bonito, florido. E como eram e para que serviam os jardins?

1) Serviam para cultivar:

*flores e pomares (Ct 6:11); *especiarias (Ct 4:16); *condimentos (Dt 11:10). Alguns produziam produtos particulares: castanhas (Ct 6:11) romãs (Ct 4:28) azeitona (ICro 27:28), vieiras (Ct7:11).

O Jardim é lugar de você produzir furtos, os dons, o seu chamado. Temos que cultivar bons frutos, porque Jesus disse que toda árvore boa produz bons frutos.

2) Eram protegidos por cercas ou muros e tinham um guardador (jardineiro)

* Neemias 2:8 * João 20:15.

Deus diz em Oséias 2:6 que Ele será como um muro de sebe. “Portanto, eis que cercarei o teu caminho com espinhos; e levantarei um muro de sebe, para que ela não ache as suas veredas.” A sebe ou cerca viva são fileiras de plantas, normalmente arbustos, que tem como finalidade delimitar uma área, sendo por este motivo dispostas ao longo das divisas ou extremidades das terras. Isso é proteção. Temos que ter o Senhor como nosso muro, cerca. Ele é o guardador.

3) Eram construídos sempre perto de lugares supridos por água – Na antiguidade a Palestina era densamente arborizada. Séculos de abuso e destruição da natureza deixaram a natureza, essencialmente desnuda de vegetação. Por esta razão, os jardins e pomares é que aliviavam a situação de esterilidade. Geralmente ficavam localizados a boa distancia das residências, lugares de descanso (longe das multidões – particularidade – encontro com Deus), e beleza natural, para celebrações especiais (festa do regresso) cultivavam ervas medicinais (cura – Jr 8:22),  lugares prediletos para oração e meditação (Gn 24:63 / Mt 26:36 / Jo 18:12) e servia como sepulcro (Gn 23:19,20/ I Sm 25:1 / Mc 15:40 – é onde enterra-se o velho.

Os jardins bem regados:

  • Revelam fertilidade (Is 58:11): “E o SENHOR te guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares áridos, e fortificará os teus ossos; e serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas nunca faltam”.

  • São o emblema dos justos:

Jr 17:8: “Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto”

Voltar a jardim é voltar as origens da criação, o objetivo do relacionamento, da intimidade com o criador, com o Pai. Jardim é local de encontro, do amor romântico, simboliza a reclusão privilegiada, algum lugar ou relação harmoniosa, que duas pessoas conservam somente para elas mesmas.

Polyanna Spínola Dias – Jornalista – Colunista do Ponto das Igrejas – Quarta-feira.

E-mail: polyannaspinola@gmail.com

Twitter @PolyannaSDias

COMPARTILHAR
Artigo anteriorNasce a Rádio do Ponto, a rádio do Ponto das Igrejas
Próximo artigoAndréa King: Fortalecendo os músculos
Ponto das Igrejas
O Ponto das Igrejas é um canal interativo onde o povo de Deus toma conhecimento sobre os fatos que ocorrem no Brasil e no mundo. Desta maneira, ajudamos aos irmãos que não podem ficar muito tempo na internet , ao acessar o Ponto, sair do campo da ignorância e perceber que Jesus está voltando. O Ponto, atualmente, apresenta alguns colunistas que estão sendo usados por Deus para dar ânimo aqueles soldados feridos nas batalhas da vida. Somos criados para glória Dele e usamos as palavras para testemunharem os feitos do Senhor em nossa vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui