Débora Campos: Receberemos para a (nossa) alegria…

0
246

smiles_greenandyellowEssa semana “me peguei novamente” ouvindo uma Canção, que talvez seja pouco conhecida de muitos; chamada “Fim de Tarde no Portão”, do Autor Stênio Március.

E para quem não sabe, essa Canção fala sobre a Parábola do Filho Pródigo; e, de “acordo com a visão” do Cantor e Compositor, da Música; a narrativa é descrita pelo pai do jovem pródigo…

Se você não o conhece, vale a pena conferir, depois. #FicaaDica.

Mas, o meu Texto Bíblico para vocês, é baseado na Palavra de Lucas 15: de 11 a 32; descrito pelo próprio Jesus, neste Texto, enquanto ELE próprio, falava aos Escribas, Fariseus e Publicanos que estavam junto a ELE, de acordo com o Texto Bíblico.

Provavelmente uma Palavra já muito conhecida de todos nós, não é mesmo?

Mas, uma das coisas que eu gostaria de fazer você refletir, mais uma vez, sobre esse Texto, é que o Filho Pródigo (o mais moço); vai ao encontro de seu pai, e lhe pede que lhe dê a sua parte da Herança.

E o pai faz exatamente isso: mesmo imaginando que depois, ele mesmo poderia se arrepender; que o seu filho também poderia se arrepender; e já “prevendo” claramente que isso poderia “custar muito caro”, até mesmo para a vida daquele filho; ele faz a divisão “de suas posses”, aos seus filhos…

É interessante, que a Palavra não nos fala, em momento nenhum sobre algum tipo de contestação ou qualquer tipo de discussão entre eles.

Depois que a Herança do pai, é dividida entre os 02 (dois) rapazes igualmente; o filho mais novo, depois de alguns dias então, sai de casa, levando consigo o que era seu, por direito.

A Palavra nos releva que depois de certo tempo, após ele gastar tudo o que se havia dado a ele, mendingando, o jovem “cai em sim”; uma vez que, ele já não tinha mais dinheiro, e nem tampouco o que comer…

E é exatamente nesse momento que ele, agora arrependido, resolve voltar para casa de seu pai:

“E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada. E, tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti.” Lucas 15:16-18.

A Palavra nos mostra, que o moço “já despontava ao longe”, e o seu pai, movido de uma íntima compaixão, vai ao seu encontro, o abraça e lhe dá um beijo.

O filho então, fala ao seu pai, arrependido, que ele havia pecado:

Porém, ao invés do filho receber uma severa repreensão, ele é recebido de braços abertos, por seu pai. E de também recebe de seu pai, as melhores roupas, calçados e um anel.

Além disso, o pai ainda pede para lhe trazer um bezerro cevado para que todos possam comer e se alegar junto a este pai.

É tempo de Alegria, Celebração, Fartura e Festa!

É interessante percebermos aqui, que o pai pede para separar e lhe dar roupas novas e calçados, o que significa que apesar de tudo o que aconteceu àquele jovem, o seu pai, amando-o intensamente, e sabendo que ele agora havia se arrependido; proporciona-lhe uma “mudança física e visível”, aos olhos de quem já conhecia a História de vida daquele jovem rapaz, e o que havia ocorrido a ele, enquanto ele estivera fora.

E o filho, ao receber o anel de seu pai, recebe também Autoridade, perante aqueles servos e servas de seu pai.

Sabemos que é exatamente assim que Jesus faz conosco nos dias de hoje; ao nos arrependermos sinceramente, de algo que tanto havíamos insistido em querer ter ou fazer, ANTES do momento certo de recebermos; a nossa tão sonhada Herança. Podemos com isso, perde-la de vez!

“A herança que no princípio é adquirida às pressas, no fim não será abençoada.” (Provérbios 20:21).

Aquele jovem rapaz, sabia que em algum dia propício, a sua Herança seria repartida, por seu pai, entre ele e o seu irmão.

Então, por que ele quis tola e antecipadamente, fazer isso?

Querido (a)s, não façam isso! Você já tem o Direito a essa Herança! Ela é sua! Somente sua!

Não antecipe as coisas: pois certamente, por falta de amadurecimento, você poderá perdê-la…

E ainda que você “não a perca” e a receba; certamente ela não seja “de bom proveito” para abençoar a sua própria vida, como lemos acima, em Provérbios. Deus tem sempre o melhor para nos dar!

Porém, nós não precisamos “sair por aí”, gastando com aquilo que não tem nenhum fim proveitoso: seja uma curta e falsa alegria passageira; uma conduta infantil à frente dos problemas que a vida lhe mostra, ou ainda; querer experimentar os “manjares atraentes” desse mundo.

Seja a mudança para um bom Emprego, uma nova amizade, um namoro sem a Confirmação do Pai Celestial ou qualquer outra coisa, que possa fazer você “perder o foco”, daquilo que realmente é importante e essencial.

Sabemos que o Pai Celestial, sempre terá grande prazer em nos receber, arrependido (a)s, de braços abertos.

Mas, não é necessário passarmos por essa escassez, por esse sofrimento ou por essa mendigaria espiritual.

O Pai Celestial se importa conosco! Com cada um de nós! Só depende de nós!

E certamente, ELE nos dará do melhor desta terra: “Se quiserdes, e me ouvirdes, comereis o melhor desta terra” (Isaías 01:19).

 Na certeza de que Deus tem SEMPRE o melhor, para mim e para você,

? ? Débora Campos. ? ? – (@DboraCampos.)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui