Nova vida em Cristo

0
166

Nova Vida

Nova vida em Cristo

Texto Base Colossenses 3:1-17;

A expectação dos filhos de Deus é a salvação trazida a nós pelo sacrifício realizado pelo Senhor Jesus Cristo na cruz do Calvário.  Neste sacrifício Jesus, despido de sua glória se fez homem para reconciliar o homem e Deus.  Morreu para que fossemos salvos, a saber, para que tivéssemos acesso à vida eterna.

Por este motivo, certa feita, o próprio Cristo disse a um homem chamado Nicodemos que ao homem é necessário nascer de novo para que possa ter acesso à vida eterna.  Este novo nascimento em Cristo, nos faz cidadãos dos céus, todavia, ainda residindo na terra e sendo afetados por todas as situações e limitações que esta existência terrena nos impõe.

Este renascimento nos faz novas criaturas, livres de acusações pelos erros do passado, mas que necessitam seguir um caminho, passar por um processo constante e crescente de aprendizado e busca de intimidade para que possamos cada dia mais, nos tornar próximos do nosso Mestre, adquirindo e aperfeiçoando os atributos do caráter de Cristo em nós.  Como nas palavras do Apóstolo Paulo:

“…vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim;”Gálatas 2:20

O processo por meio do qual nos aproximamos de Deus e nos tornamos mais parecidos com nosso alvo que é Cristo, denomina-se santificação, sem a qual ninguém verá a Deus, conforme encontramos nas sagradas escrituras em Hebreus 12:14.

O homem que atende ao primeiro convite de Cristo, que é a conversão, inicia uma caminhada que, ao final, o levará ao prêmio da soberana vocação, que é a vida eterna.  A conversão representa a morte para o mundo e o nascimento para Deus.  Nascer de novo significa passar por uma transformação completa nas dimensões espiritual, psicológica e física.

Um novo ser, pensar e agir é a expectativa de Cristo para aqueles que nasceram de novo!

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” 2 Coríntios 5:17

Todavia, temos experimentado um momento complicado em nosso meio.  A Igreja tem padecido de um mal, onde o novo nascimento tem sido interpretado equivocadamente como uma vida de poderes sobrenaturais e bênçãos abundantes, sem abnegação, sem dedicação e sem compromisso.

Dentre os males que tem afligido a Igreja de nosso tempo, vamos, com base no texto base do apostolo Paulo, falar a cerca de alguns deles.

Primeiramente vamos falar acerca da mentira.  A bíblia nos diz que o Diabo é o pai da mentira e, portanto, aquele que mente se parece com o Diabo, quando na verdade, aceitou um chamado para ser parecido com Cristo.

No versículo 9 do nosso texto base temos: “Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos e vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segunda a imagem daquele que os criou;”Colossenses 3:9

Todo pecado tem sua consequência, e como primeira delas temos o fato de que o pecado gera afastamento entre o homem e Deus.  Logo, quem mente se afasta de Deus.  Não há desculpas ou meio termo.  Mentira é pecado e a sua paga é a morte, pois o salário do pecado é a morte.

Quem mente testifica contra Deus, afirma que serve ao Diabo e não ao Senhor dos Exércitos, pois está praticando as obras de Satanás, segundo as próprias escrituras que afirmam que o Diabo é o pai da mentira. (João 8:44)

Ademais, quem mente não pode ser templo do Espírito Santo de Deus!

Em João 14:15-17 o Messias diz que os que guardarem os seus mandamentos receberão o Consolador, o Espírito Santo da promessa, que é denominado neste texto pelo Salvador como Espírito da verdade.

Ora, a promessa para os nascidos de novo é que sejam habitação do Espírito Santo de Deus, cumprimento da promessa do Senhor que estaria conosco todos os dias até a consumação dos séculos.

Mas para ser habitação do Senhor é preciso conhecer e guardar os seus mandamentos.

“…Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada.” João 14:23

Como falamos em amor, prossigamos neste tema.  Deus é amor e se alguém está em Deus, este alguém vive e manifesta o amor de Deus. (1 João 4:12)

O amor de Deus é infinito e incondicional e, por meio deste amor Jesus veio ao mundo para morrer pelos nossos pecados.

“Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo para que por ele vivamos.” (1 João 4:9)

O amor de Deus levou a remissão dos nossos pecados por meio do sacrifício do Messias, este amor levou ao perdão.  Se em Cristo somos novas criaturas temos de manifestar este amor em nós, temos de manifestar o perdão de Deus para com nossos semelhantes.

O apostolo Paulo, em nosso texto base traz uma admoestação a que liberemos o perdão assim como Cristo nos perdoou.

“…se algum tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.” Colossenses 3:14

É preciso perdoar àqueles que nos tem ofendido assim como Cristo nos perdoou.  Perdão significa abnegação, significa abrir mão de um sentimento de injustiça em nome do amor de Deus que se aperfeiçoa em nós.  Se nosso perdão não nos custa negação de sentimento, não estamos perdoando.

Por vezes vemos troca de acusações entre os chamados filhos de Deus.  O amor de Deus não se manifesta desta maneira.  O Amor do Pai é perfeito e o diabo é quem é conhecido como acusador, mas Jesus é o nosso advogado que intercede por nós junto ao Pai.

Se existe algo a ser perdoado, coloque diante do Senhor, mas não carregue com sigo o peso da mágoa, do rancor.  Isto trará afastamento entre você e o Senhor.

Como último ponto, destacaremos em nosso texto base a admoestação do apostolo Paulo a gratidão que devemos ter para com Cristo e para com tudo aquilo que ele tem feito por nós.

“E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos.” Colossenses 3:15.

A gratidão é um sentimento que parece em extinção em nossos dias.  As pessoas não conseguem manifestar a gratidão nem para com Deus, nem para com seus semelhantes.

Muitos, quando em necessidade, se aproximam de Cristo através de uma igreja, recebem tratamento espiritual ajuda dos pastores, lideres e irmãos e o Senhor começa a abençoar, a prosperar, a recuperar a vida.

Quando a situação se reverte, estas mesmas pessoas, agora restauradas esquecem-se de Deus, da igreja, dos pastores, dos irmãos e passam então a “usufruir” de suas novas vidas e agora já não têm mais tempo para Deus ou para sua obra.

Deus não dá sua glória a outrem, um cristão nascido de novo não pode nunca se esquecer que agora vive para Cristo e não mais para si mesmo.  Quando não temos mais tempo para a obra do Senhor para a meditação na palavra e para a adoração a Cristo, estamos como frutas maduras em uma árvore, prontos para que o primeiro vento nos derrube.

Amados, por fim, devemos ter em mente que a santificação é necessária para que possamos entrar pelos portais eternos e abraçar o nosso Mestre.  Esta santificação é conseguida colocando nossa mente nas coisas que são do alto, rejeitando as coisas terrenas, buscando aprender mais de Deus e aprimorando os atributos do caráter de Cristo em nossas vidas.

“Qualquer que permanece nele, não vive pecando;  qualquer que vive pecando não o viu nem o conhece.  Filhinhos, ninguém vos engane.  Quem pratica a justiça é justo, assim como ele é justo.  Quem pratica o pecado é do Diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio.  Para isto o Filho de Deus se manifestou:  para desfazer as obras do diabo.  Qualquer que é nascido de Deus não vive na prática do pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.  Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo:  qualquer que não pratica a justiça e não ama a seu irmão não é de Deus.” 1 João 3:6-10

Nossos atos é que testificam quem somos, nossos frutos é que dizem a quem pertencemos, se somos de Deus o do maligno.  Como Cristo nos ensinou a árvore é conhecida pelos seus frutos e não por suas palavras.

Cristo hoje nos convida a praticarmos as boas obras e a vivermos um arrependimento genuíno.  Ele tem uma nova vida para nós!  Ele morreu para que tivéssemos acesso a vida eterna.

“E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna.”1 João 2:25

 

Presbítero César Souza

Igreja Batista Ministério Ágape de Evangelização