homem-com-mochilaÉ tempo de férias, tempo de viajar e descansar com a família, tempo de curtir a vida. Mas e se durante a sua viagem alguém te pedisse pra carregar a sua bagagem enquanto ficava descansando de pernas pro ar? Será que isso seria justo?

Creio que ninguém gostaria de carregar todo o peso enquanto o verdadeiro dono da bagagem não assume a sua responsabilidade. Assim acontece conosco quando erramos e, por não querermos assumir as consequências, acabamos  tentando empurrar a culpa pra cima de alguém. Ou ao contrário, cometem algum erro e tentam empurrar a culpa e as consequências para nós. Você já passou por isso?

Eu já, e de tão absurdo que foi, resolvi compartilhar pois creio que, assim como eu, muitos também passaram ou passam por isso.

Essa mania de jogar a culpa no outro já é uma coisa antiga, vem lá do primeiro homem  criado, Adão. Deus deu uma ordem à Adão para que ele e Eva não comessem da árvore do conhecimento do bem e do mal. Adão e Eva poderiam comer de qualquer outra árvore porém daquela, não. (Gênesis 2,16-17)

Mas, sorrateiramente, a serpente tentou Eva e esta, não resistindo, desobedeceu a Deus, e ainda induziu seu marido ao erro.(Gênesis 3,1)

Ora, a serpente tendo distorcido a palavra de Deus, como faz até hoje, convenceu a mulher a acreditar na sua verdade, e esta, por sua vez, convenceu o seu marido a fazer o que a serpente sugeriu. Então Adão, não querendo assumir as consequências de seu erro, quando questionado por Deus, disse a famosa expressão: “A mulher que  me deste por companheira deu-me da árvore, e eu comi.” Parece brincadeira, mas não é. Ele teve a coragem de culpar a Deus pelo seu erro. E isso ainda hoje acontece. Muitos culpam a Deus quando suas escolhas erradas geram consequências desagradáveis.

Precisamos ter cuidado com o que ouvimos, para não sermos induzidos ao erro. Tanto não devemos tentar nos livrar da consequência do nosso erro, transferindo a nossa culpa para outro, como também não devemos carregar o peso da culpa de ninguém. Cada um carregue a sua mochila, cada um carregue a sua bagagem. Cada um assuma o seu próprio erro, pois nosso Senhor Jesus  nos ajuda a enfrentar as consequências. Ele pagou o preço na Cruz do Calvário, por mim e por você.

Existem maridos que erram com suas esposas e querem, a qualquer custo, convencê-las de que foram infiéis porque elas são insuficientes para ele como mulher. Tem líderes que tentam jogar a culpa do fracasso de determinada programação em seus liderados, para que não sejam repreendidos por seus superiores. Amizades se desfazem pois o orgulho impede a pessoa errada de dar o braço à torcer e pedir perdão. E nisso tudo, só quem sai sorridente e vitorioso é o inimigo de nossas almas.

Há um poder sobrenatural na confissão e no arrependimento. Deus espera isso de nós, uma renovação da nossa mente, uma coragem de assumir os nossos erros ao invés de culpar os outros.

1 João 1,9: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.”

Em Mateus 4,17 lemos: ”Desde então começou Jesus a pregar e a dizer:Arrependei-vos, pois é chegado o reino dos céus.”

Arrepender-se é mudar de atitude, mudar o rumo do errado para o certo.

Atos 3,19 nos ensina: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, de sorte que venham os tempos de refrigério, da presença do Senhor,…”

Portanto, nem devemos deixar a nossa bagagem nas costas de ninguém, nem carregar a culpa dos outros. Se sabemos quem somos em Cristo, jamais seremos enganados. Cada um dará contas de si.

 

Andréa King- Colunista do Ponto das Igrejas

 

COMENTE PELO FACEBOOK